Frank Frazetta e Conan

Nascido em 9 de fevereiro de 1928 no Brooklyn, Nova York,  Frank Fazetta foi responsável por inúmeras ilustrações famosas, por isso, é provável que você já tenha visto algum trabalho dele por aí, mas não soube identificar a autoria.

Muito versátil, o ilustrador adquiriu um estilo próprio, que o tornou facilmente reconhecível.

Em seus primeiros trabalhos profissionais, aos 16 anos, o artista desenvolveu diversos temas. Entre eles estavam westerns, fantasia, mistério e também quadrinhos de funny animals, onde animais antropomorfizados formavam uma galerinha do barulho que aprontava altas confusões! Na época, Frazetta chegou a recusar trabalhos para a Walt Disney. Por quê? Não sei. Eu não recusaria.

Primeira tentativa bem sucedida de animais engraçados, antes de Cocoricó

Nos anos 50, trabalhou em diversas empresas de quadrinhos, como EC Comics, Avon Comics e National Comics – atual DC Comics.

Muita coisa rolou, e Frank permaneceu muito tempo sem trabalho. Dentre os motivos que o levaram a isto estão a crise da indústria de quadrinhos e o fato de seu estilo ser considerado antiquado na época. Porém, após um anúncio para a revista Mad, em que ilustrou Ringo Starr, Frazetta foi convidado a fazer seu primeiro trabalho para o cinema, um poster para o filme What’s New Pussycat. Tratava-se da estreia de Woody Allen, que contava com um elenco de grandes estrelas. Posteriormente, realizou muitos outros trabalhos para a indústria de Hollywood e tornou-se um artista amplamente reconhecido.

Seu legado

Trabalhando para revistas de aventuras e fantasia, suas capas passaram a conquistar fãs; muitas vezes, estas capas eram o único motivo da compra das revistas. Foi nessa mesma época que ele passou a ilustrar Conan the Adventurer, de Robert E. Howard. A partir de então, a imagem do bárbaro que o mundo conhece foi imortalizada.

Pessoas compravam as revistas apenas pelas capas

Sujeito boa pinta, talentoso  tanto para as artes e o baseball (ele também recusou um convite para jogar no New York Giants de 1947) quanto com as damas, tem em seus trabalhos um estilo próprio ao retratar os corpos de seus personagens, sempre em montagens épicas de bravura e beleza. Suas mulheres são sempre sensuais, sendo elas deusas, musas e gostosas ou simples coadjuvantes, juntamente a guerreiros absurdamente musculosos. Seus trabalhos trazem jogos de luz e sombra marcantes, que lembram muito o fim do renascimento / início do barroco, o que lhes concede dramaticidade e muito peso visual. O que impressiona em suas obras é a captação do exato momento da ação, o drama em sua essência e a clara situação psicológica da cena e dos personagens.

Conan – O Bárbaro (1982 e 2011)

No documentário “Frazetta – Painting With Fire”, o diretor do clássico filme de 1982 em que estrelou o Governator, John Milius, diz que mesmo sem a participação de Frazetta, trabalhou em seu filme ângulos e luzes para que suas mulheres se aproximassem ao máximo às criadas pelo artista. Algumas cenas são referências diretas à obra de Frank, como, por exemplo, algumas cenas de batalha, o quarto de orgias e a mulher acorrentada à coluna.

Já o reboot de 2011, dirigido por Marcus Nispel, promete trazer ao cinema uma violência digna de um bárbaro nascido em meio à guerra.  Nispel era designer e pintor, trabalhou com arte conceitual e teve como herói Frank Frazetta, que segundo o diretor, foi quem o levou ao universo de fantasia do cimério.
Por essa conexão e admiração do diretor pelo artista, podemos também esperar uma influência direta no longa que traz Jason Momoa como protagonista, o que talvez já fique evidente na referência entre a capa de Conan – The Adventurer dos anos 60 e o pôster da versão de 2011.

Alguma semelhança?

O visual do filme é bem interessante, como pode ser visto no trailer abaixo, mas o roteiro e adaptação vêm sendo duramente criticados por quem já viu o filme.

A Morte

Frank Frazetta morreu em 10 de maio de 2010, aos seus 82 anos, vítima de um AVC em um hospital próximo à sua casa nas Montanhas Poconos, na Pensilvânia.  Nós do Arlekim esperamos que ele tenha ido para um paraíso de bárbaros e deusas bem mal vestidas. Destino de todos os heróis com sangue cimério ;) .

Obras

Aqui vão algumas obras do gênio Frank Frazetta. Uma galeria mais completa pode ser vista neste link .

2 comentários sobre “Frank Frazetta e Conan

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s